Ah… esse friozinho bom…

Bom, pra quê? Só se for pra ficar embaixo das cobertas o dia inteiro! Bom pra não fazer nada! Bom pra quem não precisa trabalhar!

Não sei o que é mais difícil neste frio: sair da cama ou tomar banho? Me fiz esta pergunta hoje e foi ao tomar banho que encontrei a resposta.

Não sei as mulheres, mas para os homens com certeza tomar banho é mais problemático, para não dizer traumático. Pézinhos gelados das moçoilas embaixo de cobertores e edredons são fichinha perto do que ocorre quando os machos vão ao banho nesse inverno! É um inferno – com o perdão do trocadilho infame.

Sim, é verdade que com a temperatura tão baixa como nos últimos dias, não dá nenhuma vontade de sair da cama, do quentinho bom e aconchegante. Por outro lado, o estômago, ou mais precisamente a fome tiram qualquer um das cobertas rapidinho. Sem qualquer machismo, se a mulher já levantou antes para preparar um café fresco e um leite quente, melhor ainda, mesmo nesse frio, os homens levantam sem pestanejar!

Agora, claro, esse lance da mulherada ter que levantar antes do homem e fazer o café é passado, visto que nas grandes cidades todos trabalham – se não fosse isso… Então, na maioria das casas o que ocorre é na verdade uma divisão de tarefas e um rodízio de locais de uso comum: enquanto um vai ao banheiro o outro vai pra cozinha e vice-versa, muitas vezes só se encontrando na porta da rua indo embora.

O duro é que tomar banho no frio é praticamente uma prova de amor – a você mesmo, lógico! A única solução é estar atrasado porque aí é pá-pum, sem pensar muito. Porque se parar para pensar…

Minha mulher diz que é muito mais difícil sair da cama, só que para os homens o banho de inverno possui agravantes. Só o fato de ter que tirar toda a roupa e tocar com os pés descalços o piso gelado já é ruim o suficiente para qualquer ser humano. Mas nós homens ainda temos um outro probleminha, uma questão tão íntima quanto masculina. Pô, ao entrar para o banho num frio de rachar, fica tão encolhido – se é que me faço entender… – quase  escondido, que despenca a autoestima, como se até faltasse virilidade!

As mulheres talvez não entendam, já que com elas o efeito pode ser o contrário, pois apesar do frio possivelmente desagradável, muitas vezes é o momento de ver os seios mais ao norte, ou docemente rejuvenescidos. Desculpa o machismo, de novo, mas o problema é justamente esse.

Ir ao banho no inverno para os homens faz com que passemos por uma sensação de impotência, mas não aquela vexatória no momento de um ato sexual. Tão ruim ou pior, é como fazer algo proibido que não se quer que ninguém saiba, mas que só basta você saber para a consciência ficar martelando na sua cabeça. É quase como um medo do espelho, sendo que não precisa de espelho, é só olhar para si mesmo, ou para baixo. Não precisa do outro, de outra pessoa, a sua consciência é perturbadora o suficiente, mais que qualquer testemunha ocular. E sofremos por isso. É desalentador.

Tomar banho no friozão não é fácil. E para os machistas assumidos ou não é um processo doloroso de desencontro não exatamente com seu eu interior, mas quase isso.

Porém, quem falou que acaba por aí? Ok, ao longo do banho, essa sensação passa e até esquecemos, mas por pouquíssimos minutos, uma vez que obviamente temos de sair do banho e enfrentar a consciência sem espelho em repeteco. Duas vezes! Impotência duas vezes em menos de quinze, dez minutos é dureza – com o perdão de mais um trocadilho infame. Passar por este vexame solitário não levanta o ânimo de ninguém!

Paulo Roberto Laubé

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s